Histórico

Em meados do século XIX, a cólera se espalhava por todo o Brasil e matava mais de 100 pessoas por dia. O médico José D'Almeida Soares Lima Bastos, então presidente do Gabinete Português de Leitura, reuniu membros da colônia portuguesa e fundou o primeiro Hospital Beneficente de Pernambuco, que inicialmente funcionou como centro de resistência para tratar as vítimas da epidemia.

Em 1855, entrava em funcionamento o Hospital Português de Beneficência Provisório. O dia 16 de setembro foi escolhido para a solenidade de instalação do Hospital, data de grande gala para Portugal, na qual se festejava a subida ao trono de D. Pedro V, filho da brasileira D. Maria II.

O Hospital Português de Beneficência Provisório, instalado no bairro da Boa Vista, teve inauguração efetiva no dia 18 de novembro de 1855. A Instituição atendeu a 62 enfermos, acometidos pela cólera, nos primeiros meses de 1856, tendo a direção da Casa recebido agradecimento do Presidente da Província de Pernambuco, José Bento da Cunha, pelos serviços prestados à população indigente da capital, sem distinção de cor ou nacionalidade.

Por alvará datado de 02 de julho de 1856, visando externar o apoio da nação lusitana à Instituição, o Rei de Portugal coloca sob sua Real Proteção o Hospital recifense, honraria confirmada em 1862. Posteriormente, Alvará de 07 de novembro de 1907, concedido por D. Carlos I, confere o título de REAL, ao Hospital Português de Beneficência em Pernambuco, hoje maior complexo hospitalar do Norte-Nordeste.